A importância de controlar e automatizar a qualidade de desenvolvimento de software

Em meu dia-a-dia na área comercial, em conversas com potenciais clientes da QAMetrik, me deparo com algumas situações de clientes no que dita o controle de desenvolvimento de software. Há, resumidamente, dois casos: aqueles que não possuem nenhum controle do código e aqueles que possuem um controle manual do código.

Entre estes dois casos há diversas diferenças, mas a mais contrastante é o entendimento que cada um tem da importância do controle de qualidade de desenvolvimento de software. Porque devo me preocupar em controlar o código ABAP que é “jogado” em meu ambiente? Porque devo otimizar este processo?

A principal resposta para essas perguntas é uma só palavra: CUSTO!

 

A “Regra de 10” de Myers

Glenford Myers, em seu livro “The Art of Software Testing”, lança a Teoria da Regra de 10. Myers comenta que quanto mais cedo descobrimos e corrigimos o erro, menor é o custo para o projeto. O custo de correção de problemas cresce 10 vezes a cada etapa de avanço do projeto de software.

Pensando no processo de desenvolvimento com as seguintes etapas e o respectivo custo para corrigir o erro:

Tabela de Custo da Qualidade


Aqui na QAMetrik analisamos alguns dados da nossa base de clientes. Pensando sempre no número de objetos do ambiente SAP do cliente, analisamos o custo por objeto em cada um dos casos: sem controle de qualidade, controle de qualidade manual e controle de qualidade automatizado. Para clientes que não possuem nenhum processo de qualidade no desenvolvimento, há um custo por objeto 85 vezes maior do que para aqueles que utilizam a QAMetrik para automatizar o processo.

Já para os clientes que possuem uma pessoa responsável por analisar amostras de códigos desenvolvidos e detectar possíveis erros, o custo por objeto fica 43 vezes maior do que utilizando a QAMetrik.

Custo da qualidade de software

 

 

Mas porque o custo é tão elevado mesmo para quem controla a qualidade manualmente?

Pensemos na seguinte situação: um único ABAP da equipe analisando o código de outros desenvolvedores, linha a linha. São milhares de linhas a serem analisadas. Isso é possível? Não! É humanamente impossível em tempo hábil.

O que acontece é que esse Avaliador de Qualidade humano acaba analisando amostras de código, procurando por erros e problemas que possam afetar a performance e a segurança do ambiente. Em média no processo manual se avalia e se corrige 50% de tudo que é desenvolvido, o que é muito pouco.

Quanto custa a mão de obra de um desenvolvedor ABAP de sua equipe? Este é o custo que você tem para a detecção de problemas no controle da qualidade manual, ainda falho com possíveis erros humanos no processo, acrescido ao custo de correção dos problemas detectados.

Além disso, você acaba perdendo um desenvolvedor que poderia estar produzindo para a empresa simplesmente para controlar parte do desenvolvimento de terceiros. Com uma ferramenta que automatiza este processo, como a QAMetrik, 100% do código é analisado, milhares de linhas por segundo. E a pessoa responsável por controlar a qualidade do ambiente fica responsável por aprovar ou enviar para correção os erros apontados pela ferramenta que eventualmente os desenvolvedores não corrigirem.

 

Ainda existe o “custo do risco”

O mesmo Glenford Myers, na Teoria da Regra de 10 ainda acrescenta que existe um custo do risco envolvido no processo. Se a cada etapa do processo elevamos em 10 vezes o custo para correção, também elevamos o risco na mesma quantidade.

Para exemplificar: se houver um problema de performance que pare parte da área de produção da sua empresa, por erro de desenvolvimento que um desenvolvedor levaria 15 minutos para corrigir se detectado ainda em tempo de desenvolvimento, quanto tempo você levaria para lançar uma correção paliativa instantânea, detectar o problema e depois pensar em uma solução para correção deste problema? Os 15 minutos viraram horas. As horas viram R$. MUITO R$.

Além disso, quantas pessoas estarão envolvidas? Qual a importância para a empresa do processo que estará parado? Quanta receita pode deixar de ser gerada neste período para a empresa? Há diversos fatores agregados, todos eles somando ao cálculo do custo do risco.

 

Conclusão

Com as teorias explicadas aqui, você acha ainda que não faz sentido iniciar um processo de controle automatizado de qualidade no desenvolvimento? E se olharmos o seu cenário, qual é o investimento que sua empresa faz em qualidade hoje? Você sabe mensurar quanto dinheiro o negócio está perdendo? Comece a pensar nisso hoje mesmo e conte com a QAMetrik para ajudá-lo.

 


Voltar