Saiba o que a engenharia de software pode fazer por você

Um ambiente de TI em uma grande empresa funciona de forma semelhante a uma fábrica. Existem diversos processos e controles a serem seguidos para garantir que todos os seus produtos e serviços entregues atendam as necessidades dos clientes conforme necessário.

Porém, é muito comum encontrarmos ambientes de TI com falta de padronização, de processos, de controles e de informações gerenciais das empresas.

Essa falta de padronização e processos prejudica o desempenho de toda a equipe, em especial aquelas ligadas ao desenvolvimento e customizações de software. Este time é prejudicado pela falta de controle de versões e pela dificuldade em avaliar e garantir a qualidade das suas entregas, colocando em risco todo o ambiente em produção, que pode receber suas demandas com falhas no código e assim prejudicar o desempenho do negócio.

Como a engenharia de software pode ajudar empresas que usam SAP?

Para ajudar as equipes de TI a terem maior controle sobre seu ambiente, uma maior assertividade nos prazos e uma maior garantia de qualidade sobre suas entregas, existem algumas normas e metodologias consagradas no mercado que podem ser aplicadas.

Neste artigo, vamos citar três das metodologias mais utilizadas em todo o mundo, e que tem ajudado clientes SAP a estruturarem melhor seus processos e a gestão das suas empresas.

CMMI

O CMMI consiste em um framework de metodologias criado para gerenciar uma empresa, mas acabou ganhando mais destaque nas áreas de TI, podendo fazer a gestão deste setor de ponta a ponta. Entre as maiores vantagens da utilização do CMMI, está sua capacidade de distinguir a maturidade que a empresa possui para o desenvolvimento de seus produtos ou sistemas.

Para fazer esta distinção, o CMMI trabalha com cinco níveis diferentes de maturidade. Cada nível é utilizado para uma fase em que o ambiente se encontra. Começando pelo nível um, quando a situação é considerada caótica, ou seja, não há um ambiente estável e processos definidos.

Conforme a evolução e melhoria desta estrutura, a empresa passa a subir de nível, até chegar ao máximo grau de maturidade, com processos estruturados de ponta a ponta, alto grau de eficiência e instrumentos de verificação da qualidade.

ISO/IEC 15504 (SPICE)

Diferente do CMMI, a norma ISO/IEC 15504, também conhecida como SPICE, foi desenvolvida exclusivamente para o desenvolvimento de software. Essa a norma define uma série de atividades para manter a qualidade do produto final. Seu projeto foi desenvolvido com base em outras normas consagradas, como a ISO 9000, ISO/IEC 12207 e o próprio CMMI.

A ISO/IEC 15504 se baseia em uma avaliação de cada processo do desenvolvimento de software. O framework inclui um modelo de referência, que serve de base para o processo de avaliação.

Para auxiliar no controle de processos e qualidade no desenvolvimento de software, a norma estabelece duas dimensões: a dimensão de processo e a dimensão de capacidade.

Na dimensão de processo, a norma divide o projeto em cinco grandes categorias de processo: Cliente-Fornecedor, Engenharia, Suporte, Gerência e Organização. Cada uma delas é detalhada em processos mais específicos. Tudo isso é descrito em detalhes pela norma.

Na dimensão de capacidade, a ISO/IEC 15504 trata da avaliação e capacitação da organização em cada processo, permitindo assim sua evolução e melhoria. O modelo de referência do SPICE inclui seis níveis de capacitação dos processos (Incompleto, Realizado, Gerenciado, Estabelecido, Previsível ou Otimizado).

ISO/IEC 9126

Essa talvez seja a norma mais completa quando se fala em TI, e ela tem um foco direto na qualidade do produto de software. A ISO/IEC 9126 é dividida em 6 categorias macro.

  1. Funcionalidade
  2. Confiabilidade
  3. Usabilidade
  4. Eficiencia
  5. Manutenabilidade
  6. Portabilidade

Cada uma dessas categorias trata de suas respectivas responsabilidades levando em consideração 3 outros pilares do desenvolvimento: Processo, Produto e qualidade em uso.

A ISO/IEC 9126 é bastante extensa e trata a qualidade de software nos mínimos detalhes, e por isso, possui sua estrutura dividida em:

  • ISO/IEC 9126-1 referente ao Modelo de Qualidade;
  • ISO/IEC 9126-2 referente as Métricas Externas;
  • ISO/IEC 9126-3 referente as Métricas Internas;
  • ISO/IEC 9126-4 referente as Métricas de Qualidade em Uso.

Como garantir a aplicação das normas nas customizações ABAP

Para garantir que as normas e metodologias de TI sejam bem utilizadas e garantam as devidas vantagens para o setor, elas dependem de fatores como processos bem definidos, pessoas e tecnologia trabalhando de forma direcionada e sincronizada.

Quando falamos em ambientes SAP, em especial naquelas empresas que fazem customizações no código ABAP, existem soluções como a QAMetrik, capazes de automatizar todo o processo de análise da qualidade do código desenvolvido, seguindo as melhores práticas do mercado recomendadas pela SAP.

Uma solução como a QAMetrik evita erros durante o processo de desenvolvimento, acelera a etapa de validação e reduz significativamente os riscos de problemas serem passados ao ambiente de produção.

Quer saber mais como a QAMetrik pode ajudar sua empresa a aplicar as normas de TI no ambiente SAP? Solicite agora mesmo um contato!

chamada_conheca-qametrik


Voltar